Noopept

Peptídeo análogo estrutural do fármaco piracetam, porém com ação superior à nível de proteção dos neurônios, principalmente aqueles situados na região do hipocampo, apresentando com isso melhora da memória e cognição.

Quimicamente conhecido por éster etílico de N-fenilacetil-Lprolilglicina, o Noopept é um peptídeo análogo estrutural do fármaco piracetam (com nome comercial de Nootropil – um dos primeiros representantes dos nootrópicos), porém com ação superior à nível de proteção dos neurônios, principalmente aqueles situados na região do hipocampo, apresentando com isso melhora da memória e cognição.

COMO FUNCIONA? Por ser análogo do Piracetam, ensaios realizados com eletroencefalograma mostram que o Noopept possui uma ação farmacológica no hipocampo semelhante, porém com uma dosagem 1000 vezes menor, além de possuir efeitos ansiolíticos e neuroprotetor mais pronunciados que o Piracetam. A ação do Noopept se baseia por um conjunto de efeitos farmacológicos, destacando-se:

• Ação antioxidante protegendo os neurônios de apoptose;

• Atividade anti-inflamatória cerebral;

• Inibição da neurotoxicidade do excesso de cálcio e glutamato no cérebro, substâncias que aceleram a morte neuronal e estão relacionadas a diversas doenças neurológicas como Autismo e Alzheimer;

• Melhora da plasticidade neuronal com consequente melhora do aprendizado e memória;

• Aumento da circulação cerebral de nootrópicos e protetores endógenos como ácido fenilacético, proglicina, ciclo-proglicina e neurotrofinas, protegendo o cérebro e proporcionando a melhora da memória a longo prazo.

PARA QUE SERVE?
A nível neuronal os estudos mostram ação do Noopept para melhora da memória e declínio de cognição, ansiedade, depressão, e Alzheimer. Estudos também apontam efeito antiinflamatório, podendo ser utilizado na prevenção de acidente vascular cerebral.

HÁ ESTUDOS QUE MOSTRAM SUA EFICÁCIA?
Em ensaio in vitro, culturas celulares foram submetidas a altas concentrações de ácido glutâmico com objetivo de simular a região do hipocampo e diminuir sua viabilidade. Vinte quatro horas antes desse procedimento, as células receberam dosagens de Noopept para verificar o efeito neuroprotetor preventivo do medicamento. O efeito neuroprotetor é mostrado com o aumento da concentração de Noopept. Notavelmente, esse resultado também foi observado quando se aplicava o Noopept após a administração do ácido glutâmico, revelando seu efeito tanto para prevenção como para tratamento. Em um estudo randomizado foi comparado o efeito clínico dos medicamentos Piracetam e Noopept a partir de 53 pacientes divididos em 2 grupos: 1) 37 pacientes com mais de 50 anos apresentando doenças do SNC (sistema nervoso central) de origem vascular, desses, 21 receberam Noopept 20mg e 16 Piracetam 1200mg; 2) 16 pacientes entre 18 e 60 anos com dano pós traumático do SNC, desses, 10 receberam Noopept 20mg e 6 Piracetam 1200mg. O tratamento durou 56 dias e todos os pacientes foram avaliados em diversos exames com objetivo de averiguar principalmente a função cognitiva e a memória, entre eles o MMSE (mini exame do estado mental) e o CCSE (exame de triagem da capacidade cognitiva). Os dados mostraram melhores resultados para aqueles que estavam recebendo Noopept.